domingo, 11 de julho de 2010



Não me conformei. No entanto, te entendi. É claro que eu te entendi.
Você quis deixar o melhor pro final, feito o último quadradinho de chocolate que é sempre o mais gostoso - desprezando os medianos sem explicações aparentes. Não me importo. Não se importe. O que realmente importa é que eu ainda não o devorei e só o farei quando você nos permitir. É que o último pedaço - como todos os últimos de quaisquer outras coisas - tem sempre que ser guardado com um carinho além. Postumamente o prazer da degustação é maior.
Não é isso? É claro que lhe compreendo. E para provar tal compreensão e dar algum sabor ao contexto, acrescento: seja meio amargo, ao leite, branco - tanto faz, desde que seja doce.
E que seja doce.

Um comentário:

- Čαн ' ૐ disse...

não importa se for amargo , portanto que seja doce....
lindo post *_*